Associação Humanidades – Apresentação

A AssociaLogotipo_RGB_300x215ção Humanidades é uma instituição de direito privado, que foi fundada em 1998.

Na sua génese, pelo pensamento dos seus fundadores, esteve sempre o debate construtivo sobre os modelos de intervenção social.

No caminho percorrido, desde a incipiência orgânica do início, até à estrutura atual, procurou-se prosseguir uma missão que cedo emergiu, apoiada num modelo interno de sustentabilidade que, progressivamente foi criando raízes sólidas que hoje nos permitem alguns dos retornos ambicionados.

Na carta constitucional do projeto ficou expresso, logo no parágrafo primeiro, que se criaria uma pessoa coletiva, com a natureza jurídica mais adequada e com as condições estruturais e orgânicas necessárias ao cumprimento das estratégias e objetivos fixados.

E a missão principal estatutária foi assumida como o contribuir para o desenvolvimento pessoal, profissional, social, económico e cultural de grupos vulneráveis da comunidade, fomentando ações várias, essencialmente de apoio à inclusão, de índole humanitária, cultural e profissional, sem descriminação de idade, sexo, etnia, religião, deficiência e estilo de vida.

Parecia já então, nesses idos de 1998, adivinhar-se que o futuro nos iria estabelecer, pela dinâmica das oportunidades surgidas, uma segunda missão, se assim se pode designar: a Mulher.

A Mulher, a partir de algo que lhe é socialmente inerente, a gravidez, sobretudo se precoce e associada a situações de maior desfavor, embora sem perda dos seus contextos de vida pessoal, familiar, social e profissional.

 A estrutura orgânica e funcional da Associação Humanidades tem vindo a ser estabelecida em função destes objetivos estratégicos.

Centro de Apoio à Mulher – CAM

2010_300x225A atividade estruturante da Associação Humanidades consiste no apoio à gravidez precoce na adolescência, orientada para públicos-alvo em situação de risco de exclusão.

Com o projeto HUMANUS – CAM, cofinanciado pelo então Programa EQUAL e assente numa parceria diversificada de instituições – entre as quais se destaca, pela importância que teve e tem, o Hospital Júlio de Matos, hoje Centro Hospitalar Psiquiátrico de Lisboa – foi possível conceber, reestruturar a estrutura física disponibilizada, equipá-la e implementar uma resposta integrada, o Centro de Apoio à Mulher – CAM, assente em três grandes vetores de intervenção:

  • Creche com capacidade para 37 crianças, dos 3 aos 36 meses.
  • Residência temporária, com 6 quartos, para mães e filhos.
  • Centro de desenvolvimento pessoal e social.

Estes dois últimos vetores denominados de Centro de Apoio à Vida – CAV.

Estatuto e Certificações

DSC02352_300x225A Associação Humanidades pelo trabalho realizado tem procurado consolidar a sua cultura em torno do reforço do seu estatuto institucional e de certificações para a intervenção que se foram mostrando determinantes para a evolução qualitativa e a diversificação da nossa oferta de serviços.

Destacam-se:

  • O estatuto de Instituição Particular de Solidariedade Social.
  • A certificação DGERT, nas áreas de educação e formação – 090 – Desenvolvimento pessoal; 222 – Línguas e literaturas estrangeiras; 482 – Informática na ótica do utilizador. Domínios para que as nossas vocações mais se orientam.
  • A certificação do Sistema de Gestão da Qualidade, no âmbito das Normas NP EN ISO 9001:2008 e MRS – Creche Nível B – 2010.

Projetos

Diversos têm sido os projetos desenvolvidos.

Inicialmente, de 1998 a 2004, a Associação Humanidades, ainda sem uma estrutura orgânica e funcional, procurou encontrar um rumo, com o apoio voluntarista de muitos dos seus associados e amigos.

Destacam-se a edição dos livros “A Aventura de um Matemático no Mundo da Comunicação”, de Luiz Barco e “Compadre Bastos” de Paulo Canella; o Congresso “Os Humanos e o Milénio. Um Percurso de Esperança”; o “Concerto Por Timor Loro Sae”; e a Revista “HUMANIDADES – Cultura e Cidadania”.

IMG_2979_300x200A candidatura ao Programa EQUAL com o projeto HUMANUS CAM viria a apontar o rumo já descrito e a determinar a implementação de uma estrutura orgânica e funcional que ao longo do tempo tem sido ajustada a novas necessidades e contingências.

Os projetos lançados, para além do trabalho com a gravidez precoce, seja no CAM, seja na comunidade, em apoio domiciliário, têm inspiração em necessidades objetivas da Mulher no seu contexto pessoal, familiar, social e profissional.

São nossas preocupações primeiras a maternidade, especialmente, se precoce, na adolescência e em condições de desfavorecimento; as competências parentais e a gestão familiar; os estilos de vida saudáveis e as questões das dependências; e a definição de projetos de vida, entre outras.

Destaco alguns dos projetos que permitiram a construção de ferramentas de trabalho com os seus destinatários e foram amplamente divulgados, a nível nacional:

  • Drogas T’ou Fora! – CD, jogo lúcido de sensibilização e informação para a problemática das dependências;
  • Vive na Boa – DVD, jogo lúdico de sensibilização e informação para estilos de vida saudáveis;
  • Empowerment – programa formativo – capacitação para a participação;
  • Poder Caminhar – metodologia e programa formativo para a reinserção de reclusos;
  • A atitude face ao sucesso e ao insucesso – programa formativo;
  • Mentoria Informal para a Reinserção – programa formativo para voluntários em contexto prisional;
  • Empreendedorismo VERDE – programa formativo;

 Atualmente recria-se a Revista HUMANIDADES – Cultura e Cidadania em suporte digital.

A ideia recorrente no espirito dos fundadores de se criar um fórum de debate e interação sobre “as humanidades”, volta a ganhar estatuto prioritário no plano de ação da Associação Humanidades.

2003_300x200O Projeto SABER SER/SABER FAZER constitui a melhor síntese da nossa cultura de trabalho.

Apoiar a pessoa na formação do SER, para as condições básicas que a vida lhe coloca. Diagnosticar e desenvolver com os próprios projetos viáveis de vida. E induzir as aprendizagens adequadas, por via do FAZER.
O projeto está pensado para permitir a implementação de três oficinas de trabalho e aprendizagem que se manterão para dele.

José Luis Gil
Presidente do Conselho de Adminstração

Anúncios